Páginas

OZONE 3 Mastering Software


Antes de mais nada quero deixar bem claro que não estou promovendo nenhum tipo de equipamento. Meu objetivo é compartilhar minhas experiências com esses equipamentos e passá-las a vocês para que possam formar sua própria opinião.

Dito isso, vamos lá!


No mundo da gravação, mastering é a continuação do processo de mixagem. O objetivo é proporcionar o brilho final, clareza e a “pegada” para uma gravação, e quando se tratar de fazer um CD, garantir que todas as faixas estejam em uniformidade, de modo que o ouvinte não encontre uma faixa muito brilhante e suave, seguida de outra com muitos graves, mas sem médios ou agudos.
No mundo da gravação profissional, mastering, geralmente, é feita em estúdios dedicados a esta tarefa.

Há alguns anos uma empresa baseada em Cambridge, Massachusetts chamada Izotop, criou um plug-in high-end para mastering chamado Ozone, que iremos comentar a seguir;

Quando eu estava começando na área de gravação de áudio, o assunto que mais tempo demorou para eu entender e "dominar" foi o tal de mastering. Eu não conseguia fazer com que minha mixagem ficasse igual no rádio ou no meu tocador de CD. Eu finalmente entendi que, após a sua música ser mixada em um estúdio, ela tinha que ser mastered. Mastering pode fazer muitas coisas por uma gravação. Pode trazer a tona aquele vocal que ficou meio escondido, engordar a caixa de bateria e ajustar o nível de volume até aos níveis máximos, entre outras coisas.


O iZotope Ozone 3, na verdade, são seis aplicativos em um. Você tem o Paragraphic EQ, Mastering Reverb,
Loudness Maximizer, Multiband Harmonic Exciter, Multiband Dynamics, e Multiband Stereo Imaging. Tudo isso inserido em uma das mais elegantes interfaces que já vi. Recentemente tive a oportunidade de usar o Ozone em um projeto. O CD tinha 12 músicas mixadas e o meu trabalho foi criar um CD Master que seria enviado para a duplicação.

Eu instalei o Ozone 3 em meu sistema e ele apareceu no meu editor de áudio. A primeira coisa que eu queria fazer era criar meu próprio preset como ponto de partida. O Ozone 3 vem com várias configurações de fábrica pré-definidas. Você também pode fazer o download de alguns presets a partir do site da iZotope. Depois de passar pelos presets, eu estava pronto para criar o meu próprio. Este seria o preset básico para todo o CD. O meu objetivo era ter uma coleção de músicas que soassem consistentes. Para funcionar como uma guia eu escolhi um dos meus CDs favoritos que soava bem próximo do CD em que estava trabalhando. Ele era utilizado como referência de tempos em tempos. Eu queria ter a certeza que estava chegando perto do som que eles queriam.

O programa é bem definido. No painel principal você tem acesso a todos os "módulos" de processamento. A primeira coisa que me apeguei foi no Loudness Maximizer. Aqui você tem ajustes de threshold e de margem. Existe também uma configuração "character" que pode ser alterada a partir de, muito rápida, rápida e alto, suave, transparente e muito lenta. O ajuste “suave” me pareceu o mais apropriado. Existe também um filtro DC e configurações de tipos de dithering. Eu defini o Loudness Maximizer para rodar em modo inteligente.

A minha segunda escolha foi o Multiband Dynamics. Esta seção é dividida em quatro bandas. Cada uma das bandas podem ter diferentes quantidades de dinâmica aplicada. Eu precisava amarrar o som do contra baixo com o bumbo, assim eu selecionei a banda de graves, apliquei uma proporção 2:1 e aumentei o ganho. Isso fez com que o baixo e o bumbo realmente se ajustassem na mix. A qualquer momento você pode ativar ou desativar qualquer um dos efeitos, tudo em tempo real, enquanto a música é tocada.

Em seguida, abri o Mutiband Stereo Imaging. Aqui você pode adicionar quatro bandas estéreo de som, incluindo widening (amplitude) e delay de cada banda. Eu selecionei a banda Low end 1, e acrescentei um ligeiro delay. Eu também acrescentei um pouco de amplitude nas faixas 2 e 4, com um ligeiro delay na banda 4. Isto deu a música um belo grave e complementou o som. Apenas como referência, comparei meu CD guia à mastering do meu projeto para ter certeza que estava no caminho certo. Fiquei satisfeito ao ouvir que o meu projeto começava a ficar perto do som de referência do CD.

Abri então o Mutiband Harmonic Exciter. Mais uma vez, você tem quatro faixas para ajustar aqui. Você também tem configurações para tube, retro e tape mode. Achei que o tape mode foi o melhor modo para mim. Nesta seção eu não acrescentaria muito. Eu selecionei a lower band 1 e acrescentei muito pouco de harmônicos e ajustei o delay para 0.1ms. Eu também acrescentei um pouco de harmônicos para a upper band 3.

Agora, um pouco de Paragraphic EQ. Você tem três modos de se trabalhar aqui, analógico, digital e matching. O modo matching realmente veio a calhar porque havia um par de mixs onde a equalização era diferente. Eu fui capaz de "samplear" o som equalizado de uma das músicas e aplicá-lo nas últimas músicas do CD. Isso realmente fez todas as músicas soarem consistentes do início ao fim. Penso que este é um recurso muito útil quando se trata de masterizar uma coleção de músicas.

Por último, tem a seção Mastering Reverb. Achei o Mastering Reverb da melhor qualidade. Algumas mixagens precisavam ser um pouco mais abertas. Eu consegui realizar esta tarefa com o Mastering Reverb. A banda queria um som de clube pequeno na música e isso foi exatamente o que eu consegui.

O iZotope Ozone 3 é realmente de alta qualidade. São seis processadores em um pacote completo. Este produto pode também ser usado como um efeito Insert enquanto você estiver mixando múltiplos canais em seu projeto de áudio. Uma vez que você masterize com o Ozone 3, vai ser difícil conviver sem ele.


5 comentários:

jclesiotec disse...

meu amigo vc falou tudo
o ozone 3 é o maximo .
vc ta de parabens pela sua dica dos recursos do ozone 3 valeu

MUSICAS disse...

BEM VOU COMEÇAR A TESTAR ,MAS PELO SEU TEXTO DEVE SER MUITO,MUITO EFICIENTE!!!

SAXGUI Produções disse...

Oi, Meu nome é Israel Oliveira e quero parabenizar pela dica do Izotop3. Porém, venho informa-los do AAMS. É um mastering inteligente, ou seja, auto masterin onde você coloca a música e escolhe o pressete e ponto! ele faz tudo automaticamente.
Outro detalhe é que você pode ter seu prório pressete. É só pegar aquele CD que você tem de referência, jogar nele e ele se encarrega de criar o seu pressete com as mesmas configurações do CD. Por ex. a equalização, nível de compressão etc.. Valeu? Vale apena conferir! Um abraço.

Anônimo disse...

Excelente Post!!!
Sempre gostei do Izotop 3, mas nunca o usei efetivamaente.
Acho que agora dpois de ter lido sua resenha vou usá-lo.
E ainda vou criar meu preset.

de uma conerida em meu trabalho em
myspaces/enigmaweb

abraço
rafaelstcruz@gmail.com

leandro pereira disse...

Vc tem como fazer um vídeo tutorial de como usar izotop ozone?se vc já tem me mostre o link valeuuuuu